Governo da Nicarágua assume o controle de Masaya após intenso bombardeio

"Masaya caiu, tudo está em silêncio, as crianças tiveram que deixar as trincheiras e fugir, suas armas eram muito pesadas", disse um membro do Movimento 19 de abril Masaya.

Governo da Nicarágua assume o controle de Masaya após intenso bombardeio

Managua (EFE) - O Governo da Nicarágua realizou na terça-feira um novo ataque armado contra a população, desta vez na cidade de Masaya, apesar da condenação internacional e local, matando pelo menos três pessoas, além de uma lista de mais de 351 pessoas mortas na crise.

O governo do presidente Daniel Ortega assumiu o controle na terça-feira de Masaya, 29 quilômetros ao sudeste de Manágua, após um bombardeio pesado de mais de sete horas, com ênfase na comunidade indígena de Monimbó.

Para a intervenção do governo, o cardeal da Nicarágua, Leopoldo Brenes chamou o povo de Masaya para se abrigar em lugares seguros.

Alta Representante para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança da União Europeia e vice-presidente da Comissão Europeia, Federica Mogherini, pediu ao governo da Nicarágua para colocar "fim imediato da violência".

Ortega também participou da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), que lhe lembrou que "já existe um quadro para parar a violência e abrir canais de diálogo para evitar mais perdas de vidas."

"Chorando por todos os mortos e orando por suas famílias, eu, com todas as minhas forças humanas e espirituais, uma chamada para a consciência de todos para atingir uma trégua, e permitir um rápido retorno à mesa de diálogo nacional", disse em uma mensagem de áudio emocional o apostólico Stanislaw Waldemar Sommertag, sem sucesso. EFE



Notícias relacionadas