Protestos no Iêmen

Milhares de pessoas protestaram na capital iemenita de Sana contra o fechamento de aeroportos, portos e fronteiras.

Protestos no Iêmen

Diante do chamado do Conselho Superior de Política do Iémen ligado aos Houthis e ao partido do presidente derrotado, Asli Abdullah Saleh, Congresso Popular Popular (GPC), milhares de pessoas concentraram-se na rua Es-Sittin perto do escritório da ONU em Sana mostrando sua reação à decisão dos referidos fechamentos.

No protesto, uma declaração de imprensa foi pronunciada em que se expressou que, embora as forças da coalizão aumentem a tensão, os passos difíceis dados pelos Houthis são suportados. "O fato de o bloqueio durar não vai assustar o povo iemenita, pelo contrário, reforçará sua resistência".

Depois que os Houthis lançaram um míssil balístico contra a capital saudita de Riade, em 4 de novembro, as forças da coalizão lideradas pela Arábia Saudita na segunda-feira tomaram a decisão de fechar todas fronteiras pela terra, o ar e o mar.

O secretário-geral da ONU para os Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, advertiu que, se o bloqueio aplicado ao Iêmen não for levantado, pode-se experimentar a maior escassez já experimentada no mundo.



Notícias relacionadas