"Jerusalém é a eterna capital do Estado da Palestina"

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, disse que Jerusalém perdurará frente a qualquer tentativa de mudança

"Jerusalém é a eterna capital do Estado da Palestina"

O presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, afirmou que não reconhece a decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre Jerusalém e assegurou que os EUA, através dessas decisões lamentáveis, boicoteia deliberadamente todos os esforços de paz e proclama que abandona o papel de patrocinador do processo de paz.

Abbas, em sua conferência de imprensa realizada no palácio da Presidência do Estado em Ramalá na Cisjordânia sob ocupação, disse:

"Rejeitamos e condenamos este plano. Este passo dos EUA sufocou todos os esforços de paz e pôs fim ao papel dos EUA nas negociações de paz". Essa decisão, ao mesmo tempo, marca a renúncia dos EUA ao papel desempenhado nos últimos anos. Durante décadas, como mediador no processo de paz, a decisão de Trump é uma recompensa pelas violações israelenses de resoluções internacionais e um encorajamento para continuar sua política de ocupação, assentamentos, apartheid e limpeza étnica ".

Declarando que Jerusalém é a capital de Israel, Trump escolheu ignorar todas as relações internacionais e acordos bilaterais, preferindo ignorar e contradizer o consenso expressado por muitos países e líderes mundiais sobre o assunto, acrescentou.

O presidente palestino disse que a Organização de Libertação da Palestina realizará uma sessão de emergência o mais rápido possível com todas os grupos em busca de uma reação unificada.

Abbas disse que "a decisão de Trump não mudará a realidade de Jerusalém ou dará legitimidade a Israel porque é uma cidade árabe, cristã e muçulmana, a capital do estado eterno da Palestina".

Abbas disse que Jerusalém perdurará diante das mudanças do tempo.



Notícias relacionadas