Resultados e acordos da VIII Cimeira das Américas no Perú

Em paralelo à agenda oficial, foram também discutidos outros temas como a crise na Venezuela, acordos comerciais bilaterais, o assassinato dos jornalistas equatorianos, o ataque na Síria, e ainda a segurança e o tráfico de drogas.

Resultados e acordos da VIII Cimeira das Américas no Perú

Os chefes de estado e de governo do continente concluíram no sábado à noite a VIII Cimeira das Américas, cujo tema principal de discussão foi a corrupção, um cancro que agonia a região.

Em paralelo à agenda oficial, os líderes americanos abordaram também outros temas como a crise na Venezuela, acordos comerciais bilaterais, o assassinato dos jornalistas equatorianos, o ataque na Síria, e ainda a segurança e o tráfico de drogas.

Os Estados Unidos estiveram representados pelo seu vice-presidente, Mike Pence, que substitui o presidente Trump nesta cimeira, onde marcaram presença os chefes de estado de quase todos os países do continente americano.

Um dos encontros mais importantes desta cimeira teve lugar entre Enrique Peña Nieto, o presidente mexicano, com o vice-presidente Mike Pence dos Estados Unidos. Ambos discutiram a renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (TLCAM), que em breve irá caducar. Peña Nieto exigiu à casa Branca respeito pelo seu país. O presidente mexicano quer ter uma relação com o seu vizinho do norte baseada no respeito e na boa vizinhança.

Já o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, pediu ao vice-presidente americano que o seu país seja isento das taxas alfandegárias de 25% recentemente impostas pelos Estados Unidos às importações de aço, e de 10% sobre as importações de alumínio.

Santos pediu também o apoio de Washington para que a Colômbia seja acolhida no seio da OCDE: “também convém aos Estados Unidos que a Colômbia faça parte da organização, porque é o nosso principal investidor e maior parceiro comercial” – afirmou Santos.

A par das questões comerciais, Mike Pence agradeceu à Colômbia pela sua “compaixão e generosidade”, ao albergar milhões de venezuelanos que foram para a Colômbia fugindo da crise no seu país. O vice-presidente americano enalteceu ainda a determinação da Colômbia na sua luta contra o tráfico de droga.



Notícias relacionadas