As importantes mensagens do presidente Erdogan na Assembleia Geral da ONU

A Economia Mundial, um programa do Prof. Dr. Erdal Tanas Karagol.

As importantes mensagens do presidente Erdogan na Assembleia Geral da ONU

O presidente Erdogan deslocou-se até Nova Iorque para participar na 72ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), e durante a sua passagem pelos Estados Unidos teve reuniões importantes com líderes mundiais, organizações não governamentais e representantes de diversos setores. Durante o seu discurso na 72ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, na qual se dirigiu aos líderes mundiais, o presidente Erdogan deixou mensagens muito importantes sobre a paz mundial, a prosperidade e os objetivos para um mundo sustentável.

No discurso do presidente Erdogan na Assembleia Geral, os temas mais importantes foram a crise síria, a questão dos refugiados, o drama em Myanmar, o processo de referendo no Iraque e a crise do Qatar. Estes problemas, que constituem uma importante ameaça à paz mundial, representam sérios riscos para a justiça internacional, a segurança e a economia. Neste contexto, uma das questões que Erdogan abordou primeiro foi a crise na Síria, que acontece perto da fronteira com a Turquia.

Tal como é conhecido, a Turquia usou todos os meios à sua disposição para tentar encontrar uma solução para a crise síria, tanto com a ajuda política e humanitária dada ao país, como ao ajudar os refugiados sírios que acolheu na Turquia. A Turquia tornou-se um país exemplar para o mundo, ao acolher mais de 3 milhões de refugiados sírios, e oferecendo-lhes serviços como alojamento, comida e saúde no nosso país.

A Turquia gastou aproximadamente 30 mil milhões de dólares no acolhimento dos refugiados sírios, o que representa um enorme apoio a estas pessoas, em comparação com o que fizeram todos os outros países em relação aos refugiados sírios. Por exemplo, a ajuda dada pela União Europeia (EU) aos refugiados foi de apenas 800 milhões de euros. A Turquia, a 17ª maior economia do mundo, superou todos estes números e teve um desempenho excecional nesta questão.

Adicionalmente, a importância dada pela Turquia à ajuda humanitária não se limitou apenas aos refugiados sírios. A Turquia começou também recentemente a dar ajuda aos muçulmanos de Arakan, que se encontram em perigo e a viver no limiar de uma grande crise humanitária.

Para além da ajuda humanitária dada recentemente por instituições como a TIKA, o Crescente Vermelho Turco e a AFAD, há também contactos e conversações em curso com parceiros regionais e internacionais para resolver esta crise. Além disso, o facto da Turquia estar a dar prioridade à resolução da crise em Myanmar junto da Organização de Cooperação Islâmica durante a sua presidência rotativa, é um passo fundamental para ser alcançada uma solução.

Outro tema abordado pelo presidente Erdogan durante o seu discurso na ONU, foi o referendo de independência levado a cabo pela Administração Regional Curda do Iraque (ARCI), no dia 25 de setembro. Erdogan expressou a sua oposição ao referendo e anunciou que seriam impostas pesadas sanções à região caso este fosse levado por diante. Tal como se sabe, a maior fonte de receitas na economia da ARCI são as exportações de petróleo, sendo que o pipeline Kirkuk – Yumurtalik tem um papel fundamental nestas exportações.

As exportações do petróleo da ARCI para o mercado internacional são feitas através da Turquia, e sem estas exportações a administração regional curda do Iraque fica sem a sua maior fonte de receitas. Para além do petróleo, a insistência da ARCI em avançar com o referendo também poderá arruinar as relações comerciais com a Turquia, que deu contribuições significativas para a economia da região com o comércio feito através do posto fronteiriço de Habur.

Sobre a crise do Qatar no Golfo Pérsico, outro dos assuntos abordados por Erdogan na ONU, foi dito que as sanções impostas ao Qatar irão provavelmente ter consequências negativas tanto para o comércio no Golfo Pérsico, como para o futuro dos mercados globais de gás natural. Tendo em conta que o Qatar é atualmente o país líder mundial nas exportações de GNL, existe uma visão consensual sobre o impacto negativo que esta crise irá ter sobre o futuro da economia da região.

Por último, Erdogan deu voz às suas críticas sobre a estrutura do Conselho de Segurança da ONU, composto por 5 membros permanentes. O presidente turco salientou que as nações estão hoje num ponto totalmente diferente da ordem mundial estabelecida após a II Guerra Mundial, e afirmou que a ONU deve abandonar este sistema de tomada de decisões.

As Nações Unidas foram criadas para garantir uma paz duradoura e tranquilidade a seguir à II Guerra Mundial, mas a ONU tornou-se uma estrutura disfuncional que não é capaz de fornecer soluções para as crises atuais. Em resultado disto mesmo, a ONU deve primeiro ser reformada para ser criada uma ordem mundial sustentável, e para que possa surgir uma paz duradoura.



Notícias relacionadas