Istambul foi mais uma vez o palco da única maratona percorrida entre dois continentes

A 39ª edição da Maratona de Istambul começou do lado asiático da cidade com o lema “Corremos para o futuro das nossas crianças”. A corrida contou com a participação de milhares de pessoas em várias categorias e terminou do lado europeu da cidade.

Istambul foi mais uma vez o palco da única maratona percorrida entre dois continentes

Istambul é uma cidade que mudou o rumo da história. É também uma cidade especial por causa do Bósforo, das suas sete colinas e belezas naturais, e também por servir de ponte entre a Europa e a Ásia. A Maratona de Istambul é a única em todo o mundo que é corrida em dois continentes.

A 39ª edição da Maratona de Istambul começou do lado asiático da cidade com o lema “Corremos para o futuro das nossas crianças”. A corrida contou com a participação de milhares de pessoas em várias categorias e terminou do lado europeu da cidade. A prova foi ganha pelo atleta francês Abraham Kiprotich, que terminou a corrida com o tempo de 2 horas, 11 minutos e 22 segundos. A Maratona de Istambul foi disputada ao longo de um percurso de 42 kms e 195 metros, que começou a 200 metros da entrada da Ponte dos Mártires do 15 de Julho. O segundo lugar nesta corrida coube ao atleta queniano Jacob Kendagor, que terminou a corrida a apenas 5 segundos do vencedor. No último lugar do pódio ficou o etíope Bazu Worku, a 17 segundos do vencedor da corrida.

A Maratona de Istambul ostenta o “Selo de Ouro”, atribuído pela Federação Internacional de Atletismo.

Na categoria feminina, a Maratona de Istambul teve como vencedora a queniana Ruth Chepnhngetich, que terminou a prova com o tempo de 2 horas, 22 minutos e 36 segundos. No segundo lugar ficou outra queniana, Visiline Jephesko, a 18 segundos da vencedora. O terceiro lugar ficou a entregue a outra atleta africana, a etíope Latebrhan Haylay, que terminou muito atrás do primeiro lugar, a uns distantes 3 minutos.

Do alcatrão das ruas avançamos agora para o alcatrão das pistas, para falar do Campeonato do Mundo de Moto GP, a prova mais importante dos desportos motorizados sobre duas rodas. A última corrida deste ano foi disputada no Circuito Ricardo Tormo, na cidade espanhola de Valência. O Grande Prémio de Espanha foi a décima oitava corrida deste ano, e foi disputada ao longo de 30 voltas. A prova foi ganha por um piloto da casa, o espanhol Dani Pedrosa. Atrás dele, no segundo lugar, ficou o francês Johann Zarco. Marc Márquez, que este ano foi novamente campeão do mundo de Moto GP, terminou a corrida na terceira posição.

Márquez, de 24 anos, conquistou em 2 017 pela quarta vez o título de campeão do mundo de Moto GP, depois de já o ter feito em 2 013, 2 014 e no ano passado. Com 4 títulos mundiais já conquistados e sendo ainda muito jovem, Márquez terá certamente como objetivo bater os recordes de campeonatos mundiais conquistados por outros pilotos, como Michael Doohan – com cinco campeonatos do mundo – Valentino Rossi com 7, e o recordista absoluto Giacomo Aostini, que foi campeão de Moto GP por 8 vezes.

Na classificação geral de pilotos deste ano, Marc Márquez ficou em primeiro com 298 pontos e sagrou-se campeão em 2 017. Andrea Dovizioso ficou no segundo lugar com 261 pontos e Maverick Viñales foi o terceiro com 230. O espanhol Dani Pedrosa, que venceu a última prova da temporada em Espanha, foi o quarto classificado da classificação geral com 210 pontos. Valentino Rossi, 7 vezes campeão do mundo de Moto GP, ficou em 2 017 no quinto lugar da geral, com 208 pontos.

Continuando nos desportos motorizados, mas agora do outro lado do Atlântico, no Brasil, destaque para a vitória do alemão Sebastian Vettel no Grande Prémio do Brasil. Mas apesar da vitória, este ano já ninguém conseguirá tirar o título de campeão do mundo ao britânico Lewis Hamilton, que garantiu a conquista do título quando ainda faltavam 4 corridas para o fim do campeonato.

O Grande Prémio do Brasil foi disputado ao longo de 71 voltas, na pista do Autódromo José Carlos Pace, com 4 309 metros de extensão, na cidade de S. Paulo. Valtteri Bottas foi o segundo classificado nesta corrida, e Kimi Raikkonen fechou o pódio ao terminar na terceira posição. Lewis Hamilton, já com o título assegurado, terminou na quarta posição. O holandês Max Verstappen foi o quinto classificado.

Na classificação geral de pilotos, Lewis Hamilton lidera com 345 pontos. No segundo lugar está Sebastian Vettel com 302 pontos e o terceiro é Valtteri Botas com 280 pontos. Bottas pode ainda ascender ao segundo lugar da geral. Bem mais atrás, no quarto lugar está Daniel Ricciardo com 200 pontos e o quinto classificado é Kimi Raikkonen com 193 pontos.

A última corrida do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 deste ano terá lugar no dia 26 de novembro, em Abu Dhabi.

De regresso às estradas, falamos agora sobre o Campeonato de Rally da Turquia, que terminou com o Rally de Kocaeli. A dupla Burak Çukurova - Vedat Bostanci assegurou o título de campeões da Turquia, depois de terminar o campeonato na primeira posição. Ugur Soylu e Mehmet Koleoglu foram segundos no campeonato e Cem Alakoç e Yusuf Çelik foram os terceiros.

Já na fase final do nosso programa desta semana, damos agora destaque ao ténis. O mundo do ténis está de olhos postos em Londres. A final do ATP World Tour, em que participam os 8 melhores tenistas do ano, começou no passado dia 12 de novembro. Este torneio terminou no domingo passado, o dia 19 de novembro. Os atletas presentes neste torneio em Londres foram organizados em dois grupos, o “Pete Sampras” e o “Boris Bocker”.

Nadal, Thiem, Dimitrov e Goffin foram colocados no grupo Pete Sampras, um dos grandes tenistas do passado recente do ténis. Federer, Sock, Zverev e Cilic fizeram parte do grupo Boris Becker.

Os finalistas do torneio foram os vencedores das meias finais, às quais acederam os dois melhores classificados de cada um dos grupos. A final teve como protagonistas duas figuras inesperadas: Dimitrov e Goffin sobrepuseram-se aos favoritos, e na final foi Dimitrov quem venceu, num encontro disputado até ao último ponto.

Terminamos com mais uma notícia de ténis, para dar destaque à vitória da Bielorrússia sobre os Estados Unidos por 3-2, na final da FED Cup, disputada entre as seleções femininas de vários países. Os Estados Unidos já conquistaram este torneio por 18 vezes, que até 1 995 se realizou sob o nome de Taça das Federações.

Esperamos que tenha gostado do programa desta semana, o Desporto Mundial nunca acabará.

Este programa foi escrito por Ali Tansu Polatkan



Notícias relacionadas