Grande perda para o desporto turco: morreu Naim Suleymanoglu

O halterofilista turco Naim Suleymanoglu, vencedor de 8 títulos mundiais e com uma carreira em que bateu 46 recordes mundiais de levantamento de peso, é uma lenda do desporto mundial.

Grande perda para o desporto turco: morreu Naim Suleymanoglu

Não há palavras que cheguem para falar de Naim Suleymanoglu. Ele é simplesmente uma lenda. Ao longo da sua carreira, venceu 8 títulos mundiais e bateu 46 recordes mundiais de levantamento de peso. Foi também o halterofilista mais jovem de sempre a bater recordes mundiais e é considerado o melhor halterofilista mundial de todos os tempos.

O halterofilista turco Naim Suleymanoglu, que morreu na semana passada, é detentor do recorde mundial mais difícil de todos os desportos individuais. Suleymanoglu nasceu a 23 de janeiro de 1 967, e começou a praticar halterofilismo com apenas 10 anos de idade. O seu primeiro título foi conquistado ainda nas camadas jovens de 52 kgs, ao obter duas medalhas de ouro com apenas 15 anos de idade.  Aos 16 anos, Suleymanoglu bateu um recorde ao levantar mais de 3 vezes o seu próprio peso na categoria de juniores, tendo-se tornado no halterofilista mais jovem de sempre a conseguir este feito. A partir daqui, os sucessos de Suleymanoglu nunca mais pararam. Ao longo da sua carreira, foi campeão do mundo nas categorias de 52, 56 e 60 kgs. Em 1 984, 1 985 e 1 986, Suleymanoglu foi considerado o melhor halterofilista do ano. E em 1 988, Suleymanoglu foi campeão olímpico nos Jogos Olímpicos de Seul, uma proeza que repetiria mais duas vezes nos Jogos Olímpicos em Barcelona em 1 992 e em Atlanta em 1 996.

Suleymanoglu foi considerado o melhor levantador de pesos da história do halterofilismo pelo Conselho Internacional de Imprensa do Halterofilismo em 1 992. Naim Suleymanoglu faz parte da história desportiva da Turquia, e reservou o seu lugar na história como o desportista que trouxe a primeira medalha de ouro para a Turquia em Jogos Olímpicos, para além das disciplinas de luta.

Da maior lenda do desporto turco passamos agora para as novidades do basquetebol, para falar sobre a decisão da FIBA – a Federação Internacional de Basquetebol. A FIBA tomou uma importante decisão tanto para as equipas como para os atletas. A partir de agora, os jogadores que sofram lesões durante os jogos pelas suas seleções nacionais, irão receber na mesma o seu salário correspondente aos dias perdidos de trabalho. A FIBA assinou um acordo com uma das maiores empresas seguradoras mundiais, que permitirá aos atletas manterem o seu rendimento em caso de lesão durante os jogos pelas seleções nacionais. Com esta medida, ficam salvaguardados os interesses dos atletas, dos clubes e das seleções.

De acordo com o plano agora implementado, a FIBA irá compensar também todos os gastos com a recuperação física dos atletas que se lesionam ao serviço da sua seleção. Esta medida abrange tanto as seleções masculinas como femininas, e será aplicada também às seleções jovens de sub-17, sub-18, sub-19 e sub-20.

Na Fórmula 1, destaque para Michael Schumacher. Este inesquecível piloto de Fórmula 1 continua a fazer a sua reabilitação em casa, na Suíça, depois do grave acidente de ski em que bateu com a cabeça numa rocha nos Alpes franceses, a 29 de dezembro de 2 013, pouco depois de abandonar a Fórmula 1.

O carro pilotado por Michael Schumacher no Grande Prémio do Mónaco de Fórmula 1, em 2 001 - ano em que foi campeão do mundo – foi vendido num leilão da Sotheby´s, na cidade americana de Nova Iorque. Um colecionador, cuja identidade não foi revelada, comprou este carro conduzido por Schumacher por 7 504 000 dólares. Uma parte das receitas obtidas neste leilão será doada à fundação do piloto alemão.

Continuando nos desportos motorizados, avançamos agora para a Austrália, onde se disputou a última etapa do Campeonato do Mundo de Rallies deste ano. A prova foi ganha pelo piloto belga Thierry Neuville, mas o grande vencedor acabou por ser o francês Sébastien Ogier, que celebrou na cidade australiana de Coffs Harbour a conquista do seu título mundial, depois de 21 rallies disputados este ano. No Rally da Austrália, atrás do vencedor Thierry Neuville ficaram o estónio Ott Tanak na segunda posição e o neozelandês Hayden Paddon, que terminou no terceiro lugar.

Sébastien Ogier, que terminou a prova australiana na 4ª posição, conquistou em 2 017 o seu quinto título mundial consecutivo no Campeonato Mundial de Rallies.

Na classificação geral final de pilotos deste ano, Sébastien Ogier ficou em primeiro lugar com um total de 232 pontos. O belga Thierry Neuville ficou em segundo lugar com 208 pontos. Ott Tanak foi terceiro com 191. O finlandês Jari-Matti Latvala foi o quarto da classificação geral com 136 pontos e Elfyn Evans foi o quinto com 128 pontos.

Já na reta final do programa desta semana, avançamos para os courts de ténis, para falar sobre a final do ATP World Tour, em que participaram os 8 melhores tenistas de 2 017. A final foi disputada entre o búlgaro Grigor Dmitrov e o belga David Goffin em Londres, a capital do Reino Unido. E foi um grande jogo!

Dmitrov venceu o primeiro set por 7-5, nesta final que durou um total de duas horas e meia. O vencedor só foi definido no set final da partida, depois de Goffin ter vencido o segundo set por 6-4. No terceiro e último set, Dmitrov venceu Goffin por 6-3 e venceu o torneio.

Esta foi a primeira vez que estes dois tenistas se defrontaram na final do torneio de fim de temporada, uma prova que Dmitrov já conquistou por 8 vezes em título individual.

Termina por aqui o nosso programa de hoje, mas nunca acabará o Desporto Mundial.

Este programa foi escrito por Ali Tansu Polatkan



Notícias relacionadas