Os investimentos em energia do ministro Albayrak durante o Novo Período

A Economia Mundial, um programa do Prof. Dr. Erdal Tanas Karagol.

Os investimentos em energia do ministro Albayrak durante o Novo Período

Nos últimos dias, o ministro da Energia e Recursos e Naturais da Turquia, Berat Albayrak, fez uma apresentação na Comissão Parlamentar de Orçamento e Planeamento e anunciou os investimentos em energia que estão planeados para o novo período. Durante esta apresentação, foi indicado que as necessidades de investimento na Turquia irão provavelmente ser superiores a 110 mil milhões de dólares ao longo da próxima década. Foi também revelado que um dos mais importantes objetivos durante este novo período, será a transformação da Turquia numa base de investimentos em energia.

Quando analisamos a agenda desta apresentação, verificamos que também está contemplado o aumento do número de poços de exploração e produção de petróleo até ao final deste ano. De acordo com os números referentes a 2 016, a Turquia, onde a produção de petróleo ronda os 51 mil barris por dia, precisa de identificar novos poços de petróleo.

Atualmente, a produção nacional de petróleo apenas satisfaz cerca de 7% das necessidades de consumo de petróleo da Turquia. Existem no país mais de 4 700 poços de petróleo. Com a abertura de mais 65 poços de petróleo até ao final deste ano, espera-se que as atividades de exploração na Turquia irão acelerar, e que se possam registar aumentos significativos na produção de petróleo em todo o território turco.

Outra tema na agenda da apresentação, foi o avançado estado da construção do TANAP, que está prestes a ser concluído. Esta é uma notícia muito importante tanto para a Turquia como para a Europa, já que ambos esperam a conclusão da construção do TANAP. Este gasoduto será uma das linhas mais importantes do Corredor de Gás do Sul, e permitirá criar uma linha direta de energia entre Hazar e a Europa. Em 2 018, a Turquia irá garantir o acesso ao abastecimento de gás natural, ao subir a sua percentagem de consumo de gás natural importado do Azerbaijão.

A data prevista para que o TANAP comece a transportar gás, é o ano de 2 020. O TANAP tem uma importância estratégica tanto para a Europa como para a Turquia, ao garantir a segurança energética de ambas as regiões. O TANAP deverá também permitir que a Turquia se torne numa base energética. Depois de 2 020, a Turquia irá ser o país anfitrião do fluxo de gás entre os países produtores do oriente e os países consumidores no ocidente. Com a entrada em funcionamento do TANAP, a Turquia atingirá o estatuto de país de comércio direto de gás natural na região.

Por outro lado, e tendo em conta os trabalhos que estão a ser rapidamente realizados para concretizar o gasoduto de gás natural do projeto Turkish Stream, que irá ligar a Rússia à Europa através da Turquia, concretiza-se a estratégia da Rússia de usar a Turquia como país central para aceder aos seus mercados de exportação de gás. Adicionalmente ao seu papel de país de tráfego de gás natural entre o oriente e o ocidente, a Turquia ganha dia após dia uma importância estratégica na Europa em termos de fornecimento de energia segura, ao permitir que este gás siga depois para o norte da Europa.

Outro desenvolvimento na área do gás natural está relacionado com a entrada em serviço de mais duas Unidades de Re-Gasificação e Armazenamento Flutuante de GNL (FSRU) em Hatay Dortyol e no Golfo de Saros. A capacidade de armazenamento da Turquia, que cobre 15% do total das importações de gás na forma de GNL, está a crescer para um total de 2,7% do total de gás consumido no país. Este valor é ainda baixo e precisa de ser aumentado o mais depressa possível. Espera-se que as duas unidades de armazenamento e re-gasificação de GNL que estão planeadas e que deverão entrar brevemente em serviço, deverão aumentar a capacidade de armazenamento do país em 10 mil milhões de metros cúbicos.

Depois destes trabalhos serem concluídos, a capacidade de armazenamento de gás natural irá chegar aos 20% do consumo anual de gás, e ficarão asseguradas as reservas de gás de longo prazo através do gás natural armazenado nos terminais de GNL. Caso surja algum problema no abastecimento de gás natural, estas reservas de armazenamento irão garantir a continuidade do fornecimento de gás. Adicionalmente, e a somar aos terminais flutuantes de GNL, as importações de GNL feitas com base no mercado spot deixarão de estar dependentes de apenas um país em particular, o que permitirá assegurar a diversidade em termos das fontes de abastecimento de gás natural.

Por último, na apresentação do ministro Albayrak, foi também referido que foram dados alguns saltos em frente relativamente às centrais nucleares que irão ser construídas em Akkuyu e em Sinop. Na apresentação foram mostrados os desenvolvimentos mais importantes na questão da produção de energia. As centrais nucleares são capazes de produzir eletricidade 24 horas por dia e não são afetadas por questões climatéricas ou condições meteorológicas. Estas centrais nucleares asseguram por isso o acesso constante à eletricidade em todo o país.

Neste contexto, quanto mais depressa começarem a funcionar as centrais nucleares de Akkuyu e de Sinop, bem como a terceira central nuclear também prevista - e cujos trabalhos para identificar o local da sua construção continuam – mais depressa a Turquia será capaz de ter fontes de energia ininterrupta, o que por sua vez contribuirá para que o país se aproxime do seu objetivo de se transformar numa base de energia.



Notícias relacionadas