O Turkish Stream avança rapidamente

Economia Política, um programa do Prof. Dr. Erdal Tanas Karagol.

O Turkish Stream avança rapidamente

Foram feitas declarações importantes sobre o estado da construção do gasoduto off shore Turkish Stream, que irá trazer as enormes reservas de gás natural da Rússia para a Turquia, e daqui para a Europa. A ligação entre a Rússia e a Turquia será feita através de dois gasodutos, cada um com 930 kms de extensão. As declarações explicaram que 530 kms de extensão de um dos gasodutos já foi completada, e isto indica que houve um avanço significativo neste projeto.

O primeiro gasoduto começa na costa de Anapa, na Rússia, e entra depois na Turquia em Kiyikoy. O plano é depois prolongar este gasoduto até Luleburgaz, o ponto a partir do qual depois o gasoduto se irá ligar à rede de distribuição da Turquia. Quanto ao segundo gasoduto, já foram completados os trabalhos ao longo de 224 kms. Este gasoduto será usado para transferir o gás natural da Turquia para a Europa.

O Turkish Stream tem uma capacidade de 31,5 mil milhões de metros cúbicos, e é um dos elementos mais críticos no caminho da Turquia para se tornar num dos maiores atores, na equação do gás natural nesta região. A Turquia é uma ponte entre o Ocidente e o Oriente, e esta situação traz uma vantagem estratégica ao país, ao mesmo tempo que dá à Turquia um alto nível de segurança no abastecimento energético. Isto torna claro que a Turquia é a nação ideal na sua região a este respeito.

A Turquia está situada entre os pontos mais importantes do mundo de produção e consumo de energia, pelo que oferece aos países da região a rota de transporte mais adequada devido à sua localização. A Rússia está ciente desta situação, e por isso optou por fazer face às necessidades energéticas da Europa através da Turquia, ao mesmo tempo que responde também às necessidades de gás natural da Turquia. Isto torna evidente, uma vez mais, a importância da Turquia na questão da segurança do abastecimento de energia.

Com a finalização da construção do Turkish Stream, a Turquia irá tornar-se numa localização chave para a Europa em termos do fornecimento de gás natural, à medida que a importância do nosso país como centro regional de energia vai crescendo de dia para dia, com os gasodutos de gás natural que ainda estão em construção. Este gasoduto terá um papel central nas relações energéticas entre a Europa e a Turquia, e permitirá à Turquia desempenhar um papel mais ativo na garantia da segurança do abastecimento energético à Europa.

Quando entrar em funcionamento, o primeiro gasoduto do Turkish Stream irá trazer o gás natural russo para a Turquia e deixar inativo o Gasoduto Ocidental, que atualmente abastece a Turquia. Na verdade, esta situação adiciona uma nova dimensão ao comércio de gás natural entre os dois países. A partir de agora, a primeira paragem do gás que chega à Turquia será o nosso país, com o gás a deixar de passar pela Europa para cá chegar. E quando o segundo gasoduto entrar em funcionamento, a Europa irá poder satisfazer uma parte da sua procura por gás natural com o gás distribuído a partir da Turquia.

Em resumo, o gasoduto do Turkish Stream – cuja entrada em funcionamento está prevista para 2 019 – irá mudar dramaticamente o equilíbrio no comércio de gás natural entre a Rússia, a Europa e a Turquia. Por outro lado, a segurança do fornecimento energético da Turquia irá aumentar, à medida que uma parte das importações turcas de gás natural passa a chegar ao país através de pontos diferentes. Isto porque existe um sério risco contra a segurança do abastecimento energético durante uma eventual crise, sempre que o gás natural seja obrigado a chegar à Turquia através de países terceiros, e não diretamente através da Rússia.

Felizmente, o Turkish Stream é um projeto que tem a capacidade para eliminar estes riscos, e a sua construção redefiniu a equação da energia na região. A Turquia tornou-se num dos atores mais importantes desta equação, devido à sua localização geoestratégica, e devido à sua grande capacidade de trânsito de gás natural.

Qual é então a capacidade do Turkish Stream em termos da resposta às necessidades de gás natural da Turquia, numa altura em que o nosso país avança no caminho para se tornar num centro regional de energia? Em primeiro lugar, está planeado que 15,7 mil milhões de metros cúbicos de gás natural possam chegar anualmente à Turquia através deste gasoduto. Em comparação, o gás natural que atualmente chega pelo Gasoduto Ocidental que será desativado, transporta 14 mil milhões de metros cúbicos por ano.

O consumo de gás natural da Turquia no período entre janeiro e novembro de 2 017, foi de aproximadamente 47 mil milhões de metros cúbicos. A previsão para o consumo de gás natural em 2 018, é de mais de 54 mil milhões de metros cúbicos. Neste contexto, o gasoduto Turkish Stream que se prevê comece a funcionar em 2 019, irá fazer face a 35% da procura total da Turquia por gás natural no próximo ano, com a sua capacidade para transportar 15,7 mil milhões de metros cúbicos.

Para concluir, o Turkish Stream é um projeto importante que irá aumentar a segurança do fornecimento energético da Turquia, bem como responder a uma parte importante da procura doméstica por gás natural e fazer da Turquia um centro regional de passagem de energia. Este projeto irá definir as dinâmicas de energia na região no período que se segue, à medida que entra em funcionamento.



Notícias relacionadas