Turquia reage aos EUA que querem incluir o PYD nas negociações sobre a Síria

“O que é que estão ali a fazer os que cometem assassinatos?”.

Turquia reage aos EUA que querem incluir o PYD nas negociações sobre a Síria

O vice primeiro ministro turco Veysi Kaynak, deu uma resposta ao porta-voz dos Estados Unidos. Na sua reação, Kaynak manifestou-se contra o facto dos aliados da Turquia terem convidado para as negociações de paz na Síria, o PYG – a ramificação síria do grupo terrorista separatista PKK.

Kaynak participou na cerimónia de distribuição dos cartões “Kizilay Kart” (cartão do Crescente Vermelho Turco), organizada pelo Programa Alimentar Mundial da ONU.

Durante o seu discurso neste evento, o vice primeiro ministro turco destacou o apoio externo dado ao PYD.

“O que é que estão ali a fazer os que cometem assassinatos? É óbvio que aqueles que cometem assassinatos não querem alcançar a paz. A União Europeia e o mundo civilizado têm que saber que esta é uma questão de segurança para todo o mundo civilizado. Se permanecermos indiferentes perante isto, o incêndio que daí surgirá irá alastrar-se a todo o mundo”.

Kaynak disse também que a luta contra o terrorismo não é o único problema da Turquia, tendo o ministro indicado que é preciso partilhar a carga que deriva do problema migratório.

“Este problema humanitário é um problema do mundo. Temos que dividir a carga, para podermos ser todos felizes juntos. Estou convencido de que o Kizilay Kart é um dos projetos mais concretos e corretos. Os seres humanos migraram, mas esperemos que não tenha migrado também a humanidade” – disse o ministro.

Antes, o porta voz dos Estados Unidos, Mark Toner, tinha defendido que o PYD devia estar à mesa das negociações, para que possa ser alcançada uma solução de longo prazo no país. O PYD é a ramificação na Síria do grupo terrorista PKK.


Etiquetas: Síria , PYD , EUA , Turquia

Notícias relacionadas