Erdogan falou a um canal grego

O presidente turco falou sobre vários temas, da FETO até ao Tratado de Lausana.

Erdogan falou a um canal grego

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, respondeu às perguntas dos jornalistas do canal de televisão grego Skai.

Erdogan disse que o primeiro-ministro Alexis Tsipras lhe disse, logo após a intentona golpista na Turquia da Organização Terrorista Gulenista (FETO), que os golpistas que fugiram para a Grécia seriam entregues à Turquia dentro de 15 a 20 dias. O presidente turco recordou que a Grécia é um país que já sofreu muitos golpes, e que por isso ambos os países devem estar solidários nesta questão: “A justiça quando tarda não é justiça”.

Erdogan disse também que “Com alguns países resolvemos esta questão de forma muito rápida, mas tal não foi possível com a Grécia”. Erdogan acrescentou ainda que a não extradição dos golpistas que estão na Grécia “prejudica o nosso respeito pelo sistema judicial grego. Ficamos tristes”.

Erdogan afirmou que na Turquia o sistema judicial funciona de forma tão justa, como não é possível ver em mais nenhum país ocidental: “temos 251 mártires 2 293 veteranos do 15 de julho. Claro que tomámos medidas sérias em relação a isto. Deveríamos libertar aqueles que cometeram estes crimes? Tomámos rapidamente ações para os deter. E agora a justiça está focada em todas as suas ligações”.

Sobre a sua visita agendada para a Grécia, Erdogan disse que “a minha primeira mensagem para o povo grego é: as relações negativas entre a Turquia e a Grécia fazem parte da história. Atualmente, somos dois países que assinaram um acordo estratégico de alto nível. Estamos a intensificar os trabalhos para construir o futuro. A confiança e a estabilidade são os nossos dois princípios mais importantes. Temos que preservar estes dois princípios”.

Referindo-se depois ao Tratado de Lausana, Erdogan disse que este tratado precisa de ser revisto, para incorporar os novos desenvolvimentos.



Notícias relacionadas