Erdogan: "Estamos enfrentando um grande crime contra a humanidade na Palestina"

Erdogan quebrou o jejum com parentes dos soldados martirizados no Complexo Presidencial

Erdogan: "Estamos enfrentando um grande crime contra a humanidade na Palestina"

"Estamos enfrentando um grande crime contra a humanidade na Palestina", disse o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, o terrorismo israelense em Gaza.

Erdogan quebrou o jejum com os parentes dos soldados mártires no complexo presidencial.

O líder turco ressaltou que se encara um grande crime contra a humanidade contra os inocentes na Palestina, cujo único crime é defender seus direitos nos territórios onde vivem há milhares de anos e também indicou que 63 pessoas caíram mártires e mais de 3 mil pessoas ficaram feridas nos eventos ocorridos na segunda-feira, durante a transferência da embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém.

Erdogan observou que os palestinos, que não podem viver em paz por mais de meio século por causa de ataques israelenses que não reconhecem direito, justiça e humanidade, estão novamente sujeitos aos atos brutais de Israel.

"A transferência dos EUA de sua embaixada para Jerusalém, ignorando as resoluções da ONU e instituições internacionais assediaram o governo israelense. Os soldados israelenses massacrando sem discriminação os palestinos inocentes que não têm outro objetivo senão defender seus territórios sem recorrer a armas violência e brutalidade ".

"Esse ataque, pelo qual todas as instituições e todos os países se rebelariam se tivesse ocorrido em outras partes do mundo, foi infelizmente recebido com grande ignorância por Israel quando foi lançado contra os palestinos".

"Permaneceu-se indiferente a essa tragédia, exceto as iniciativas da Turquia, as revoltas comoventes das pessoas vulneráveis na geografia islâmica e as objeções de alguns países ocidentais que têm consciência".

Erdogan enfatizou que a Turquia está ao lado dos palestinos e não consentirá com a atrocidade israelense, embora o mundo a ignore.

Na questão do massacre israelense em Gaza, Erdogan disse que permanecer em silêncio diante dos atos mimados, arrogantes e desumanos de Israel, que não reconhecem a justiça e o direito, significa a abertura de uma porta muito perigosa.

Além disso, expressou a séria destruição das primeiras e segundas guerras que levaram a humanidade a se unificar em torno de instituições internacionais para buscar paz e segurança em um nível baseado em regras.

"A pirataria israelense fez com que esta ordem tremesse radicalmente e começasse a destruir depois dos recentes acontecimentos, o sistema internacional, que fracassou na Bósnia, no meio da Europa, em vários lugares da África, na Somália, no Iraque e na Síria, agora quase se suicida com sua atitude na Palestina ".

"Aqui a ONU está acabada, consumida, destruída em face de todos esses eventos, porque a ONU existe para o estabelecimento da justiça, mas agora não podemos chegar ao Secretário Geral da ONU, embora nosso relacionamento esteja em um nível avançado".



Notícias relacionadas